açúcar plschutz

Açúcar subestimado pelos pais e o risco de excesso de peso dos seus filhos

Pedro Schütz

Olá a todos,

Uma das minhas maneiras favoritas de dizer às pessoas como comer é:

“Se vier embalado ou em um “pacotinho”, não coma”.

Isso é uma simplificação excessiva, é claro. Alguns alimentos saudáveis como sardinhas, nata  e ovos, vêm embalados ou em  caixas . Mas, como regra geral, é bem seguro seguir a linha “feira e açougue”.

Infelizmente, a maioria  (especialmente as crianças) não seguem este conselho.

De fato, estudos recentes mostraram que o americano médio obtém 60% de suas calorias não apenas de alimentos processados, mas de alimentos ultra-processados, que consistem em açúcar, sal, gorduras trans e óleos vegetais, além de sabores e cores artificiais , adoçantes, emulsificantes, conservantes e outros aditivos, e na maioria das vezes, todos ao mesmo tempo.

Um dos muitos motivos pelos quais isso é problemático é o excesso da ingestão de açúcar especialmente. E isso foi destacado em um estudo recente (1) indicando que a maioria dos pais subestima significativamente a ingestão de açúcar de seus filhos – principalmente por causa do açúcar oculto em alimentos processados que são comumente vistos como “saudáveis”.

Por exemplo, mais de 90% dos pais subestimaram a quantidade de açúcar contida num simples potinho de iogurte (desnatado, com sabor de frutas), em média ,SETE CUBOS de açúcar por porção, que equivalem a 50~60% das calorias do produto.

Essas descobertas sugerem que fornecer conhecimento facilmente acessível e prático sobre o conteúdo de açúcar, por exemplo, através da rotulagem nutricional, pode melhorar a intuição dos pais sobre o açúcar.

Mas a maneira mais simples de evitar esse problema é aprender a “apenas comer comida de verdade”.

Isso significa cortar os alimentos altamente processados e refinados que se tornaram um dos pilares da dieta americana e focar em alimentos integrais frescos e ricos em nutrientes.

Talvez não surpreendentemente, os erros de julgamento foram intimamente correlacionados com o índice de massa corporal (IMC) de seus filhos. Em outras palavras, os pais que mais subestimavam  o teor de açúcar nos alimentos tinham filhos com os maiores IMCs.

Sim, pode ser uma transição difícil – especialmente se seus filhos estão acostumados a comer lixo.

Mas isso não é motivo para não fazer isso, pelo contrário, educar desde cedo a questão nutricional e mostrar o bom caminho é fundamental! Questão de saúde, BÁSICA! Equivale a ensinar desde cedo a criar o hábito de escovar os dentes – aprendizado para o resto da vida.

Hoje em dia há muitos recursos disponíveis  para tornar isso mais fácil (sites e blogs com ótimas receitas e formas variadas de preparar alimentos naturais).

Com quase 20% das crianças agora obesas, precisamos urgentemente  dar mais atenção a como elas estão comendo. E reduzir o consumo de açúcar, processados e ultra-processados é provavelmente o primeiro e mais importante passo.

Até a próxima!

 

1-https://www.nature.com/articles/s41366-018-0021-5?_ke=eyJrbF9lbWFpbCI6ICJwbHNjaHV0ekB0ZXJyYS5jb20uYnIiLCAia2xfY29tcGFueV9pZCI6ICJteTc1eTYifQ%3D%3D

 

Autor:

Pedro Schütz – Ciência Schutz

   

Gostou? Inscreva-se na nossa lista de novidades!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: