atividade física bruno.pieske

Supercompensação, Periodização, e sua importância na musculação

Bruno Pieske

Treino ABC, treino ABCD, treino AB, entre outros… Todos os praticantes de musculação já devem ter se deparado e/ou feito essas fichas de treino, tão comuns. Mas qual a “magia” deles, por que tem essa sequência? Eles podem ser feitos na sequência, podem ser feitos todo dia, pode repetir o treino preferido durante a semana?

Bem meus caros leitores, respondendo de uma maneira curta e que pode ser interpretada como confusa, DEPENDE! Depende de como sua ficha foi planejada, daí a importância de sempre dizer ao professor que irá planejar o seu treinamento de forma bem clara, quantas vezes por semana pretende treinar e quais seus objetivos primários com o treino.

Mas por que? Porque temos uma janela de tempo conhecida como SUPERCOMPENSAÇÃO e é justamente durante essa janela que precisamos estimular nosso corpo para que tenhamos um ganho constante e progressivo.

Quando fazemos o treino A, por exemplo, temos que repeti-lo em um período no qual nosso corpo já descansou do stress imposto por ele, que geralmente ocorre entre o tempo que fizemos o B e o C, caso se trate de um treino ABC, ou seja, 72 horas caso o ciclo ABC tenha sido PERIODIZADO para se repetir uma vez na semana, ou seja ABC para 6 dias de treino.

Caso não repetirmos a sequência de treino dentro da janela de tempo na qual se encontra a supercompensação, perdemos a adaptação (ganho de força, resistência e massa muscular) e voltamos ao estágio inicial. NOSSO CORPO NÃO ARMAZENA APTIDÃO FÍSICA, pois isso implica em maior dispêndio energético e nós fomos projetados para sempre ser o mais econômicos possíveis. Ou seja, se o corpo percebe que aquela dose extra de músculos que você acabou de ganhar não está sendo usada, ele trata de descartar a mesma…

Portanto precisamos ficar bem atentos à essas duas coisas e planejar para que sempre voltemos a estimular nosso corpo enquanto ele está em fase de supercompensação. Mas ao mesmo tempo que não podemos demorar demais para voltar a estimulá-lo, também não podemos sair atropelando tudo e treinar novamente antes de termos nos recuperado da sessão anterior, senão ao invés de termos ganho, podemos até mesmo nos lesionar, além de não progredir!

Dois cenários relativamente comuns que se repetem, e muito, nas academias são das pessoas que não respeitam o período da supercompensação. Uns estimulando o mesmo grupamento muscular praticamente a toda sessão de treino, dia após dia, não dando tempo dele sequer se recuperar, imagine então de ficar mais forte. Outros demorando demais, perdendo o período no qual o corpo está mais forte e pronto para um novo estímulo, voltando para a estaca zero e começando tudo de novo na próxima sessão de treino.

Exemplos respectivos para os cenários supracitados: Uma jovem que quer muito hipertrofiar glúteos e coxas, resolve treinar glúteos e coxas todos os dias, 6 vezes na semana. Ela não terá resultados, pois não deu tempo para haver a supercompensação antes da próxima sesão de treino.

Um jovem que faz o treino ABC, que deveria repetir o mesmo ao final do primeiro ciclo, treina segunda, terça e quarta feira e só volta na outra segunda feira. Este perdeu a supercompensação e vai começar a outra semana exatamente com a mesma aptidão física que tinha na semana anterior.

É claro que há treinos que exigem períodos maiores ou menores de descanso para que haja a supercompensação, na musculação os períodos variam de 24 a 96 horas, DEPENDENDO DO VOLUME E DA INTENSIDADE DO TREINAMENTO.

Sempre tenha isso em mente ao se engajar em um programa de condicionamento físico. Procure orientação de um profissional capacitado e, minha dica, procure informações em fontes confiáveis e sempre exerça pensamento crítico.

 

Autor:

Bruno L. Pieske de Abreu

Gostou? Inscreva-se na nossa lista de novidades!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: