alimentação de animais patritassinari

Hipertireoidismo em felinos

Patricia Tassinari

“A ideia de se dar peixe a um gato por acreditar que felinos comem peixe desde os primórdios é a coisa mais absurda que já ouvi…eu não consigo imaginar um gato indo a um rio pescar!”

Ração seca e úmida Sabor Peixe e Peixes para felinos: Será mesmo uma boa opção?

Eu tenho algumas informações novas para relatar sobre o assunto de hipertireoidismo em gatos, e eu tenho medo que não vai ser uma boa notícia para aqueles de vocês que que consomem peixes e que alimentam seus felinos com peixe ou comida de gato com sabor de peixe.

O hipertireoidismo felino tem aumentado dramaticamente nos os EUA nos últimos 30 anos. E no Brasil estes dados também não são diferentes. É a desordem endócrina mais comum dos felinos, com mais de 10 por cento dos gatos com idade superior a 10 anos diagnosticados com a doença.

A tireoide é uma glândula em forma de borboleta na base da garganta. Quando esta pequena glândula produz doses maiores ou uma overdose de hormônio da tireoide, o resultado é o hipertireoidismo. A doença geralmente é causada por um tumor benigno na glândula tireoide chamado um adenoma. Em casos raros, o tumor é um carcinoma, que é o câncer.

A exposição a produtos químicos retardantes de chama (PBDEs), é ligado ao hipertireoidismo felino.

O aparecimento súbito e rápido de aumento nos casos de hipertireoidismo em gatos tem gerado um pouco de investigação sobre as causas potenciais, um dos quais parece ser a exposição a produtos químicos retardantes de chama (éteres difenil- polibromados, ou PBDEs). PBDEs são reconhecidos como disruptores endócrinos e da tireoide.

Em um estudo de 2015 publicado na revista Environmental Science & Technology, os investigadores analisaram o sangue de 60 gatos de estimação para detectar a presença de produtos químicos retardantes de chama, especificamente decabromodifenílico (BB-209), éteres difenil polibromados (PBDEs), PBDEs hidroxilados (OH-PBDEs), e 2,4,6-TBP.1

O objetivo do estudo foi avaliar as diferenças nos níveis de substâncias químicas em gatos saudáveis e gatos diagnosticados com hipertireoidismo. Dos 60 gatos no estudo, 23 tinham função normal da tireoide e 37 foram diagnosticados com hipertireoidismo.

Os resultados do estudo mostraram que os gatos com hipertireoidismo apresentaram níveis mais elevados de PBDEs em uma base de peso de gordura.

Outro estudo anterior, publicado no Journal of Toxicology and Environmental Health sugeriu que os produtos químicos retardantes de chama contidos no pó da casa estão ligados a doenças da tireoide em gatos. Os autores do estudo concluíram que os gatos estão essencialmente expostos a produtos químicos retardadores de chama pela ingestão de poeira doméstica – o que naturalmente ocorre cada vez que se limpam, lambendo os pelos e ingerindo essa poeira. Na verdade, gatos domésticos parecem ter exposição extraordinária para PBDEs. Em 2012, pesquisadores suecos demonstraram que os níveis séricos de PBDE em gatos suecos eram cerca de 50 vezes maior do que na população humana sueca. E um estudo de 2007 mostrou que os níveis de PBDE em gatos nos EUA foram de 20 a 100 vezes maiores do que os níveis médios na idade adulta. Alimentos com Palatabilizantes sabor Peixe foi identificado como culpado em Potencial. Um estudo recém-lançado parece lançar ainda mais luz sobre a conexão entre compostos retardantes de chama e hipertireoidismo felino, sugerindo que a comida de gato com sabor de peixe poderia ser um culpado.

Uma equipe de cientistas japoneses avaliou a comida de gato e amostras de sangue de felinos e descobriram que o tipo de bifenilos policlorados (PCB) e subprodutos PBDE encontrada em ambas as amostras de alimentos e de sangue são derivadas de organismos marinhos.

Os investigadores também foram capazes de simular a maneira pela qual os organismos dos gatos convertem o tipo de produto químico presente no alimento para o tipo de químico visto em amostras de sangue dos gatos. Com base em seus resultados, a equipe concluiu que os subprodutos detectados em níveis elevados em amostras de sangue dos gatos provavelmente vieram de alimentos com sabor de peixe e não a exposição ao PCB ou PBDEs.

Como PBDEs pode ir parar na comida de seu gato?

Para aqueles que como você pergunta como esses produtos químicos acabam em comida de gato com sabor de peixe, Dr. Jean Hofve de Little Big Cat explica muito bem: “Há uma ligação entre a alimentação de alimentos de gato à base de peixe e o desenvolvimento de hipertireoidismo, que agora está em níveis epidêmicos”.

Uma nova pesquisa sugere que os gatos são especialmente sensíveis aos PBDEs (que, entre outras coisas, são usados como retardadores de fogo em carpetes e móveis), produtos químicos encontrados em níveis mais elevados em ambos os alimentos de gato enlatados e secos do que os alimentos de cão; e mais quantidade na ração seca do que alimentos úmidos enlatados para felinos.

Alimentos à base de peixe são ainda piores, porque os organismos marinhos produzem PDBEs naturalmente e pode ter bioacumulação na cadeia alimentar a níveis elevados em peixes; Isso aumenta a exposição aos gatos, cuja exposição começa a partir de tecidos e poeira na própria casa e se estende à alimentação. Peixes predadores do topo da cadeia alimentar, como atum e salmão, podem conter níveis muito elevados de metais pesados (incluindo o mercúrio), bem como PCBs, pesticidas e outras toxinas. Tilápia (listados nos rótulos dos alimentos para animais de estimação como “peixe branco oceano”) estão entre os piores em contaminação, juntamente com cavala, tubarão (cação) e peixe-espada.

Estes peixes são tão tóxicos que a FDA aconselha às mulheres em idade fértil e crianças para evitá-los inteiramente; e recomenda apenas 1 porção de atum por semana devido a seus altos níveis de mercúrio (atum amarelo ou ‘light’ é muito mais seguro para nós, mas ainda impróprio para gatos).

Se estes peixes são perigosos para as crianças, os gatos estão ainda mais em risco! PCBs (bifenilos policlorados), em particular, são produtos químicos industriais tóxicos que foram proibidos em os EUA em 1979. No entanto, eles são usados em outras partes do mundo; e porque eles são estáveis no ambiente, eles ainda são uma preocupação em águas oceânicas.

Uma pesquisa recente descobriu altos níveis de PCB em alimentos para animais secos e enlatados. Os cientistas também descobriram que o gato retém metabólitos de PCB no sangue mais do que os cães.

Mais razões para evitar Peixes na alimentação para gatos.

O risco de hipertireoidismo não é o único motivo de preocupação nos gatos quando se alimentam de peixe.

Muitas vezes eu menciono a necessidade de girar proteínas na dieta do seu animal de estimação. Isso porque qualquer alimento que é consumido muitas vezes pode criar uma alergia ao longo do tempo. E peixes, como se vê, é um dos alimentos mais altamente alergênicos para Felinos. Não é simplesmente uma dieta adequada de espécies para gatos. Alergias causam inflamação sistêmica. Os gatos que comem alimentos alergênicos mais e mais podem acabar com a inflamação pulmonar, que também pode levar à asma. E, claro, a asma é uma das condições inflamatórias mais vulgarmente diagnosticadas em gatos. Também parece haver uma ligação entre o mercúrio e asma, e etoxiquina (um conservante tóxico ainda encontrado em alguns alimentos para animais) e asma, por isso é fácil de começar a ver um quadro mais amplo no que diz respeito a condições inflamatórias relacionadas com a dieta.

Alimentação exagerada à base de peixes também podem conduzir a uma deficiência de tiamina, que podem causar perda de apetite, convulsões e mesmo a morte. A ingestão a longo prazo de peixes em comida de gato também pode esgotar os recursos de vitamina E. A deficiência de vitamina E pode causar uma condição dolorosa chamada Esteatite, que é a doença de gordura amarela. Se não tratada, Esteatite pode ser fatal.

O marisco é uma fonte muito rica de iodo, mas os gatos não são projetados para processar uma grande quantidade de iodo. Muitos nutricionistas de animais, inclusive eu, acreditam que há uma ligação entre os alimentos ricos em iodo e hipertireoidismo felino. Também houve uma ligação estabelecida entre o pop-top latas (ou comida de gato enlatada) e o hipertireoidismo.

Por último, mas não menos importante, o teor de magnésio em peixes tem sido associado a doenças do trato urinário em gatos. Uma dieta sobrecarregada com o magnésio mineral pode predispor o seu gatinho a magnésio na forma de cristais de fosfato de amônio, também conhecidos como cristais MAP ou cristais de estruvita.

Dicas para ajudar seu gato a não ter o Hipertireoidismo:

  • Alimente seu felino com um alimento fresco equilibrado e dieta da espécie apropriada.
  • Evite alimentar o seu gato uma dieta à base de peixe.
  • Também evite alimentar seu animal com produtos de soja e derivados, pois eles têm sido associados a danos na tireoide, tanto de gatos como de cães.
  • Livrar seu ambiente de produtos químicos retardantes de chama.
  • Fornecer ao seu gato uma cama pet orgânica. Geralmente com fibras de coco, ou algodão orgânico.
  • Compre um purificador de ar de alta qualidade para o ambiente do seu gato

Eu também recomendo verificar os níveis hormonais da tireoide de seus animais anualmente após 7 anos de idade.

 

Referências:

1 Environmental Science & Technology, March 25, 2015, 49(8), pp 5107-5114

2 Journal of Toxicology and Environmental Health A, 2012;75(4):201-12

3 Archives of Environmental Contamination and Toxicology, July 2012, (63)1, pp 161-168

4 Environmental Science & Technology, September 15, 2007, (41)18, pp 6350-6356

5 Environmental Science & Technology, 2016, 50 (1), pp 444-452

6 Little Big Cat

7 Journal of the American Veterinary Medical Association, March 15, 2004, Vol. 224, No. 6, Pages 879-886

 

Conheça o seu Programa Pet Forte e também o seu livro mais recente Mude sua Mente Mude sua Vida.

 

Autora:

Patricia Tassinari Master Coach

   

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: