cozinhaconsciente dicas de alimentação e saúde

10 Dicas para Começar a Cozinhar Comida de Verdade

Mônica Souza

Comer de forma saudável é um anseio de muitas pessoas. Mas não tem sido tarefa fácil construir um padrão, um modo de comer, nessa sociedade que esqueceu o que é comida de verdade.

Na era da facilidade, fomos levados a acreditar que cozinhar dá trabalho, é perda de tempo ou tarefa secundária, pouco nobre. Abrimos mais pacotes e caixas em vez de descascar alimentos e preparar comida do zero.

É normal, então, que todas as vezes que se ouve a recomendação de cozinhar mais e desembalar menos, as pessoas se sintam preocupadas: Vai me dar muito trabalho. Eu vou conseguir colocar a tarefa de cozinhar na minha rotina? Eu vou precisar de habilidades muito refinadas na cozinha?  É muito caro comer saudável? Como cozinhar de forma saudável, quais ingredientes usar?

São questionamentos muito comuns e muito pertinentes. Afinal, nos acostumamos a ter alguém ditando as regras: coma tantas porções disso no café, tantas daquilo no almoço e um pouco daquilo no jantar.

Não sabemos como organizar a vida para sermos independentes.

Pois bem. Pare de se questionar. Comece a agir. O que você vai ler abaixo é um conjunto de ideias básicas para você começar a cozinhar agora e a organizar melhor as suas refeições, sempre pensando em comida de verdade.

O que você precisa fazer?

1. O primeiro e muito importante passo: Faça uma limpa completa na sua despensa e geladeira e elimine todos os produtos alimentícios, tudo o que for industrializado. Uma advertência muito prudente para quem quer um padrão alimentar melhor é simplesmente não ter em casa alimentos que podem significar uma saída da rota que você traçou. Tenha o que fazer em casa, esse é o ponto básico para cozinhar mais. Uma despensa bem guarnecida é tudo! Pode parecer óbvio, mas se você negligencia esse ponto, não vai conseguir dar o próximo passo.

2. Faça cardápio. Organizar cardápios semanais é um norte para orientar, por exemplo, as compras da semana. Quando você ainda não tem muita prática numa alimentação com base mais ancestral e nem controle da sua fome, pensar no que comer em cada refeição, caso a fome surja, é uma boa estratégia. Pense em opções para café da manhã, almoço e jantar. Pense se irá fazer todas as refeições em casa ou se terá compromissos fora e precisará comer na rua. Desenhe a sua semana, veja o que tem em casa e faça uma lista do que precisa comprar. Vá as compras!

3. Faça compras com consciência: prefira feiras e sacolões, ou descubra na sua cidade quem distribui cestas de produtores. Compre carnes no açougue. As compras em supermercados ficam mais restritas a: azeite, café, eventuais temperos, vinho (claro!), manteiga, queijos. Não há muito mais lá que interesse aos seus propósitos de comer comida de verdade.

4. Esqueça as preparações complicadas. Regra de ouro! Busque a simplicidade ao máximo! As pessoas que mais conseguem aderir à comida de verdade são aquelas que entendem esse princípio. Deixe as receitas elaboradas para quando você tem mais tempo. No dia a dia, foque no simples, rápido de preparar. Fique atento:

  • Escolha cortes de carnes mais fáceis de cozinhar para preparos rápidos;
  • Facilite a vida pré-preparando as carnes mais complicadas num único dia da semana;
  • Deixe alguns vegetais já higienizados e picados. Alguns podem até ser pré-cozidos e guardados por até 3 dias em potes fechados na geladeira.

5. Aprenda a usar com maestria as técnicas mais simples da culinária: saltear e assar. Saltear é refogar alimentos com pouca gordura em frigideira bem quente. Você pode saltear vegetais ou carnes. Para os vegetais, corte em pedaços menores. Cuide para que os vegetais não fiquem cozidos demais. Este é um erro muito comum e que colabora para que muitas pessoas não gostem de vegetais: cozinhar demais, onde a textura fica ruim e o gosto também fica indefinido. Salteie seus vegetais e os deixe crocantes. Para as carnes, use os cortes mais macios, como filé de frango, filé mignon, lombinho de porco, carne moída. Assar vegetais e carnes pode ser bastante prático, apesar de precisarmos de um pouco mais de tempo. No entanto, você pode ir fazendo outras tarefas enquanto o forno trabalha para você.

6. Comece a usar os temperos a seu favor: a mesma carne moída pode ganhar sabores diferentes se a cada dia você usa um mix de temperos diferentes. Não tenha medo de ousar nos temperos. Vá criando suas misturas favoritas.

7. Use com parcimônia as “receitinhas” que mimetizam pratos hiperpalatáveis como doces, pães, receitas com muito creme de leite e queijos. Essas comidas costumam ativar com mais força as nossas lembranças de alimentos que adoramos comer em grande quantidade. Modere. Além do mais, elas são trabalhosas. Não pense que você precisa delas para aderir ao seu plano de comer mais comida de verdade.

8. “Marmite” sempre que possível. Se você passa o dia fora de casa, siga as dicas de organização e prepare sua comida à noite, e já faça em maior quantidade para levar para o trabalho. Assim, você controla a qualidade do que está comendo e ainda economiza!

9. Divida tarefas. Se você mora com outras pessoas e pensa que comprar comida pronta é mais interessante porque a tarefa de cozinhar sempre recai sobre você, então talvez esteja na hora de ter uma boa conversa sobre divisão de tarefas! Se todo mundo come, então todo mundo precisa se responsabilizar.

10. Por último, mas essencialmente importante: O amor à cozinha passa antes pelo amor que você precisa ter a você e à sua causa: comer bem com qualidade, porque você merece o melhor, merece o cuidado. Isso ressignifica o senso comum de que cozinhar dá trabalho e rouba tempo. Quando você entende que o trabalho é algo que você está fazendo a seu favor e que o tempo gasto da cozinha vai significar mais tempo de vida, ou ainda mais qualidade de vida, muda tudo.

Agora é só começar! E aí? O que você vai preparar hoje? Uma última dica, para te ajudar a pensar na resposta: crie o seu arsenal de receitas, modos de fazer, ideias a serem preparadas, pessoas que cozinham e te inspiram. Invista em livros de cozinha para abastecer sua mente com muitas ideias. Mia Couto nos ensinou que cozinhar é um modo de amar. Então, ame-se incondicionalmente e cozinhe comida de verdade, que vai nutrir seu corpo e a sua alma.

 

Autora:

Mônica Souza – Cozinha Consciente

    

Gostou? Inscreva-se na nossa lista de novidades!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: